Regras para recolhimento de tributos

Regras para recolhimento de tributos

Regras para recolhimento de tributos
Regras para recolhimento de tributos

 

Todos os condomínios, independente do porte, obedecem às mesmas regras para recolhimento de tributos e recolhimento de contribuições ao contratar serviços, tanto de empresas quanto de autônomos.

Confira abaixo as providências que devem ser tomadas quanto à contratação e ao pagamento e recolhimento/retenção das taxas em contratos de prestação de serviços.        

CONTRATAÇÃO DE PROFISSIONAL AUTÔNOMO

Elaborar um contrato de prestação de serviços

Consultar trabalhos anteriores e clientes já atendidos pelo profissional

Solicitar ao contratado que forneça o número de seu registro no INSS

Manter no condomínio uma ficha de cadastro básica do prestador de serviço que deve conter: Nome completo, endereço, identificação documental (RG, CPF, PIS ou INSS)

Verificar com o prestador de serviço se o mesmo está cadastrado na Prefeitura da Cidade onde ocorrerá a prestação de serviços, possuindo assim o CCM (Cadastro de Contribuinte Municipal).

INSS

Deve-se reter 11% do valor pago, a título de contribuição para a Previdência Social – INSS

Recolher, por conta do condomínio, 20% sobre o total do valor pago, a título de contribuição patronal à Previdência Social Os dois valores – 11% de INSS e 20% de Previdência Social – devem ser recolhidos na Guia GPS sob o código 2100 (mesma guia da folha de pagamento dos funcionários)

A maioria dos pagamentos são efetuados pela internet.

Prazo de pagamento: todo dia 02 do mês seguinte àquele a que as contribuições se referirem. O pagamento pode ser efetuado em qualquer agência bancária.

Saiba mais em: Site da Previdência/ GPS

ISS

No caso de um prestador de serviço autônomo, o síndico tem de consultar a obrigatoriedade ou não de retenção de alíquota de ISS (depende da função em que o autônomo está cadastrado no CCM – Cadastro de Contribuintes Municipais).

Em São Paulo, a partir de janeiro de 2008 condomínios residenciais e comerciais têm de recolher ISS. Saiba mais

RPA

É o nome “técnico” para a abreviação de “Recibo de Pagamento de Autônomo”. É o documento que comprova / suporta o pagamento e deve ficar anexo à pasta.

  Contratação de Empresa

Na contratação de empresas alguns cuidados são bem semelhantes à contratação de autônomo: Deve haver um contrato de prestação de serviços, pesquisa da empresa junto ao mercado, registro do CNPJ, satisfação dos clientes já atendidos, etc.

Além disso, o condomínio deve atentar para os seguintes tópicos:

PAGAMENTO:

Qualquer tipo de compra ou contratação de serviços exige nota fiscal

Existem dois tipos de serviços: Manutenções mediante contrato e mediante empreitada (com aplicação de mão-de-obra)

Em ambos os casos, se as notas fiscais pagas somarem mais de R$ 5.000,00, deve-se reter a título de contribuição ao PIS/COFINS/CSSL 4,65%, do total da nota fiscal. Este valor deverá ser recolhido através de um DARF (Documento de Arrecadação Federal) sob o código 5952.

Saiba mais no site da Receita Federal: – Alíquotas – Pagamentos

Nos casos de prestação de serviços por empreitada, além da obrigação acima prevista, deve-se reter ainda 11% sobre o total da nota fiscal ou recibo emitido, a título de Retenção da Previdência Social. Este valor deverá ser recolhido através de GPS com o código 2631, no dia 2 do mês seguinte ao da prestação de serviços

Se a empresa prestadora do serviço for optante pelo SIMPLES, ela será isenta do recolhimento dos 4,65% de PIS/COFINS/CSSL, mas deverá ter retido 11% de INSS conforme descrito acima

Caso o prestador de serviço esteja localizado em outro município, deve-se também reter o ISS que deverá ser recolhido à Prefeitura onde o condomínio está localizado. Para São Paulo (SP), veja mais detalhes no site da prefeitura

Todas estas retenções estão a cargo do tomador dos serviços (condomínio/síndico), portanto deve-se analisar criteriosamente cada nota fiscal envolvida nas operações do condomínio.

Regras para recolhimento de tributos

Significado das siglas

PIS – Programa de Integração Social

COFINS – Contribuição para Financiamento da Seguridade Social

CSSL – Contribuição Social Sobre o Lucro

INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social

ISS – Imposto Sobre Serviços

GPS – Guia da Previdência Social

DARF – Documento de Arrecadação da Receita Federal

RG – Registro Geral

CPF – Cadastro de Pessoa Física

CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica

SIMPLES – Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte

CCM – Cadastro de Contribuinte Municipal

  Arquivamento de documentos

  • Para os documentos relativos a pagamentos, notas fiscais, impostos etc., o arquivamento deve ser feito por, pelo menos, 6 anos. • Documentos relacionados com o INSS e FGTS, o arquivamento deve ser feito por tempo indeterminado

Fontes: AABIC – Fernando Fornicola (Diretor Administrativo); ELCE Auditoria – Marcos César dos Santos e Edson Rogério Gonçalves Luque (Diretores)

Gostou do conteúdo? Compartilhe:

Veja mais artigos 

Regras para recolhimento de tributos