Conflitos em condomínios mistos

Conflitos em condomínios mistos

Síndicos precisam ter jogo de cintura para estabelecer consenso entre comércios e residências em condomínios mistos.

De um lado lojistas enfeitam vitrines, do outro, moradores dos apartamentos reivindicam melhorias e manutenção nos elevadores. Apesar das diferenças, o condomínio possui administração única. Para os síndicos, muitas vezes, é difícil conciliar os interesses de cada um. A solução, de acordo com o administrador de condomínios César Machado, é seguir o bom senso e usar a ferramenta certa para cada situação – seja por meio de diálogo ou até de advertência.

A maioria dos conflitos nos condomínios mistos é de ordem econômica. “É comum surgirem discussões porque, por exemplo, em um salão de beleza o consumo de água é maior do que em uma residência, então o morador acha que deve pagar menos pela água”. Ele explica que, em condomínios mistos, a taxa condominial pode ser única ou diferenciada e a convenção deve ser clara quanto ao rateio de cotas pelas unidades.

Taxa condominial única é a somatória dos gastos do condomínio dividido igualmente, independente do consumo de cada um. Já a taxa diferenciada estabelece valores distintos para residências e comércios, baseada no que cada um consome. Por exemplo, as áreas de lazer geralmente são para uso restrito dos moradores. Sendo assim, a cobrança para a manutenção dessas dependências se destina somente às unidades residenciais. “No entanto, todas as especificações devem constar na convenção. Condomínio Águas de Veneza

Conflitos

Cobranças à parte, a administração de condomínios mistos exige jogo de cintura para resolver conflitos. Lidar com interesses diferentes faz parte da rotina do síndico.

 Há conflitos entre lojistas e moradores em que a conciliação administrativa se torna inviável, gerando repercussão na Justiça. Existem casos de condomínios que tentam, inclusive, homologar judicialmente a separação das unidades. Enquanto a briga corre, os síndicos e as administradoras procuram lidar com as adversidades e equilibrar os interesses. Em suma, o gerente César Machado orienta que o rateio separado das cotas facilita a organização e resolve grande parte dos problemas. “Em alguns condomínios a cobrança pelo abastecimento da água, por exemplo, é individual e os conflitos são minimizados”.