Honorários-salario-de-sindico-profissional

Honorários-salario-de-sindico-profissional

Em geral, os honorários,salários  do síndico são baseados por quantidade de unidades e estimados pela quantidade de horas dedicadas do síndico e equipe diretamente ao condomínio.

Estabelece na contratação um valor por unidade, pois o cálculo é mais claro para ambos os lados. Geralmente ao assumir o posto, o bom síndico-profissional adota uma série de medidas de imediato com o intuito de racionalizar despesas: revisão da equipe de funcionários, otimização nos consumos da energia elétrica, água e gás, revisão de escopo e renegociação de contratos e verifica itens obrigatórios de segurança e funcionamento que podem ocasionar multas muito maiores que simples reparos.

Oferecer um bom trabalho com valor justo para ambos os lados.

Quanto ao tempo que o síndico deverá permanecer no condomínio, isso é muito relativo tendo em vista que o trabalho do profissional não se restringe ao espaço físico do edifício. Por outro lado, no papel de administrador, ele deve ser o responsável pelo pleno funcionamento do empreendimento e deverá disponibilizar todo o tempo necessário para que isso ocorra de forma eficiente.

Não existe uma regra única, vai depender do que o condomínio necessita, no início é muito provável que vá tomar mais o seu tempo.

Fatores: tamanho do condomínio (quantos aptos.) o que tem na área comum: piscina, salão de jogos, playgrounds, brinquedoteca, churrasqueiras e tem ainda os condomínios clube que são mais complicados de gerir.

Profissional ou condômino, não tem jornada de trabalho definida, normalmente ele dedica algumas horas por semana no condomínio e mantem contato com os condôminos através de telefone e internet.

Meu parecer sobre valores a receber:

Tem um valor mínimo, nunca abaixo do restante dos funcionários.

Valores médios de mercado ficam entre 20 e 60 reais por apartamento.

Síndico profissional pode custar até mais que R$ 20 mil.

É um profissional que entende de legislação, contratação, tem experiência. Nos condomínios-clube, lida-se com orçamentos de milhões por ano e um volume de 300, 400 apartamentos. Não é um trabalho para amador, muito trabalho e grande desgaste.

O principal erro dos condomínios ao escolher o síndico, é relegar esse trabalho como se fosse de uma importância menor.

O Brasil é um dos únicos países do mundo que possui a figura do síndico de condomínios e este no papel de voluntário. Surpreende, especialmente, pelo fato deste responder civil e criminalmente por qualquer ocorrência dentro das dependências do condomínio.

O profissional, bom conhecedor dos instrumentos que tem em mãos, implanta um sistema de cobrança eficaz e efetivo que reduz, drasticamente, a inadimplência. Em média, após 06 meses, já se atinge o break even, ou seja, a economia equivale ou supera os honorários.

 Para ser síndico, é necessário ter jogo de cintura, saber ouvir e ter uma boa relação com os profissionais do edifício. “Você precisa conquistar a equipe

Competências necessárias: espírito empreendedor, resiliência, assertividade, liderança, excelente relacionamento interpessoal, boa comunicação e experiência em gestão de processos.